IRIS HALMSHAW

IRIS HALMSHAW
IRIS HALMSHAW - a genialidade de uma criança

domingo, 18 de agosto de 2013

130 POEMAS PARA CRIANÇAS - ANTOLOGIA POÉTICA - INTRODUÇÃO





130 POEMAS PARA CRIANÇAS – ANTOLOGIA POÉTICA



Download do texto integral do blogue em »
http://www.homeoesp.org/livros_online.html




INTRODUÇÃO - 

Já dissemos noutro lugar, que a poesia é algo vivo, um algo que não tem definição. É Beleza e Verdade, é Vida; a Vida no seu permanente deslumbre.

Elaborar uma antologia poética não é tarefa fácil e muito mais dificultosa se torna, quando a mesma é dirigida a crianças e jovens.

Penso, tal como Antero de Quental, que para as crianças, se a escola não for jardim, será apenas insuportável prisão, e a doutrina caso não seja encanto, será tão-somente tortura, como tortura é também nos tempos conturbados em que vivemos, o relacionamento familiar.

Não há que culpar os jovens dos seus hábitos, mas antes, seus educadores e progenitores. Estes últimos, sempre demasiadamente assoberbados por inúmeras tarefas e lazeres, para contribuírem como lhes incumbe, para a formação do carácter e personalidade de seus filhos.
O século XXI é o século das “baratas-tontas”, sempre atarefadas com as suas carreiras mesquinhas e com os seus pertences e aparência; o século dos deuses, “poder” e “ouro”.

Neste cenário pouco convidativo, convenhamos que urge despertar a imaginação e a inata tendência poética das crianças, se ansiamos no porvir à existência de um mundo melhor.
Esse despertar da sensibilidade nunca será conseguido caso as confinemos, por comodismo, ao “escuro” progresso da electrónica: dos ordenadores e seus descendentes e derivados.

O sentimento ético e estético, provocado instintivamente pela poesia, poderá ter a virtualidade de animar uma mundividência, que alicerçará uma afeição ao Todo, sensibilidade à Vida e exaltação da Alma, contrariando deste modo uma estereotipia gerada pela especialização.

Para além dos poetas consagrados, todos de língua portuguesa, coligimos algumas canções populares.
A edição dos poemas, cerca de 130 – alguns sofreram ligeiras alterações ou supressões para melhor compreensão –, não tem como numa antologia exemplar uma ordem estruturada por datas e autores, mas antes, pela maior ou menor dificuldade de entendimento, permitindo um movimento de leitura sequencial às crianças e jovens.
Os que aparentam maior complexidade interpretativa constituem-se como provocação ao trabalho conjunto de leitores, pedagogos e progenitores.

Que estes poemas possam ser lidos em família, que possam despertar nas nossas crianças o sentimento do Belo e do Bem, é a minha mais sincera esperança.


Pode baixar a antologia no seu todo em »


Caso pretenda visualizar todos ou alguns dos 130 poemas veja na barra lateral deste o » ARQUIVO DO BLOGUE  ou vá até ao fim da página e clique sucessivamente em » Mensagens antigas.



***



AS CRIANÇAS

Repele alguém do Mestre, brutalmente,
os louros querubins de rostos finos.
- Mas o sábio Rabi lhes diz, clemente:
«Deixai virem a mim os pequeninos.

Deixai-os vir a mim. Sou o ceifeiro
que nada perde, e os mundos vem ceifar.
- Feliz de quem como estes é rasteiro.
- Ai daquele, cruel, que os molestar!»

GOMES LEAL


***


A todas as crianças do mundo




Download do texto integral do blogue em »
http://www.homeoesp.org/livros_online.html






Sem comentários:

Enviar um comentário